De acordo com a decisão, não mais subsistem os motivos autorizadores da prisão. “A denunciada, até o presente momento, não oferece nenhum tipo de resistência a eventuais novas acusações em seu desfavor, reconheceu perante o órgão acusatório as imputações apuradas neste processo, bem como apresentou informações de seu acervo de bens, não existindo risco de novas ocultações, portanto não se mostra adequada e necessária a manutenção da prisão” disse a juíza Andréa Gonçalves.

Em seu despacho, a magistrada adverte que “o descumprimento de quaisquer das medidas importará na substituição por outras mais gravosas ou, se for o caso, o restabelecimento da prisão”.

VEJA AS PROIBIÇÕES À LIVÂNIA FARIAS :

1 – proibição de acesso às repartições do Governo do Estado;

2- proibição de manter contato com testemunhas da Operação Calvário;

3 – proibição de manter contato outros investigados da Operação Calvário;

4- proibição de manter contato com agentes públicos estaduais;

5 – proibição de manter contato com fornecedores da secretaria de Estado da Saúde;

6- proibição de manter contato com fornecedores de campanha eleitoral;

7- proibição de manter contato com doadores de campanha eleitoral, exceto os seus familiares até o 4° grau;

8- proibição de se deslocar a locais com distância superior a 200 quilômetros da Comarca de João Pessoa;

9- proibição de exercer funções públicas;

10-comparecimento mensal ao Ministério Público, em data a ser ajustada com o próprio órgão.

 

Confira na Íntegra a decisão da magistrada:

https://www.tjpb.jus.br/sites/default/files/anexos/2019/04/decisao_livania.pdf

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

Prefeita de Ouro Velho parte na frente e autoriza Transição

A Prefeita de Ouro Velho, Natalia de Dr. Junior, autorizou por meio de Decreto Municipal s…