Partidos do centrão e da oposição fecharam um acordo nesta terça-feira (7) para tentar aplicar um duro golpe no governo do presidente Jair Bolsonaro.

O grupo vai tentar retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) das mãos do ministro da Justiça, Sergio Moro.

O assunto é debatido na comissão que trata da Medida Provisória (MP) 870, que reformulou a administração do governo Bolsonaro no primeiro dia do ano. Cabe ao Poder Legislativo referendar ou não as mudanças.

O governo corre para tentar negociar o texto, já que a MP tem data de validade. Se não for aprovada pelas duas casas até 3 de junho, ela caduca. Ou seja, passaria a valer a estrutura administrativa do governo Michel Temer, que tinha 29 ministérios — com a posse de Bolsoanaro, a Esplanada passou a contar com 22 pastas.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Efraim: ‘Tributária está em ritmo de corrida de 100 metros e administrativa é maratona’

Novo líder do DEM na Câmara, o deputado federal Efraim Filho (PB) defende o apoio à aprova…