O Secretário de Estado da Fazenda, Marialvo Laureano recebeu, o Fórum das Entidades das Polícias Civil e Militar da Paraíba. Formado por representantes de mais de 16 mil policiais civis, militares e dos bombeiros, o fórum é composto por 13 entidades que buscam um objetivo único: a implementação da remuneração salarial por meio do subsídio – direito previsto na Constituição Federal e assegurado por Lei Estadual, que não foi aplicado na Paraíba e já é realidade em vários Estados da Federação, inclusive seis do Nordeste. Outro pleito do grupo é a recomposição dos salários com base na média atual dos demais estados da nossa região.

A reunião foi para entregar ao Secretário um documento pedindo que o Governo tenha um olhar diferente para os profissionais da Segurança Pública, que saem todos os dias de casa sem saber se voltam, mantendo reduções nos indicadores de violência. O Fórum das Entidades das Polícias Civil e Militar da Paraíba foi formado há quase dois meses, tempo em que se formatou uma proposta que não tem impacto financeiro para este ano, com a recomposição salarial sendo parcelada até o final do mandato do governador João Azevêdo. Todos os presidentes defenderam a sensatez da proposta e confiança no Governo, visto que não estão pedindo nada impossível, pois é uma questão de justiça colocar esses profissionais na média salarial das outras polícias do Nordeste.

No discurso de apresentação ao Secretário da Fazenda a maior parte dos presidentes das entidades reforçou a importância desse momento histórico para as polícias e os bombeiros, pois as categorias se juntaram para unificar um pleito e deixaram de lado suas reivindicações particulares. O principal argumento é que a polícia da Paraíba tem o menor salário da região Nordeste e isso é até contraditório com os números expressivos da Segurança Pública do Estado, que está há oito anos reduzindo a violência.

Laureano recebeu o documento dos membros do Fórum das Entidades das Polícias Civil e Militar da Paraíba e prometeu a realização de um estudo técnico para avaliação do impacto e viabilidade financeira. “Não há um gestor que não queira ver a segurança do seu estado melhor. Apesar de estarmos em um momento de insegurança sobre o rumo da economia do nosso país, a proposta de vocês passará por avaliação de várias pastas, pois o pleito é justo”, pontuou o chefe da Secretaria da Fazenda.

Agora, os representantes dos servidores das Polícias Civil, Militar e dos Bombeiros aguardam audiência com o Governador do Estado, que já foi solicitada desde o dia 11 de junho quando o fórum esteve reunido com o Secretário de Segurança da Paraíba, Jean Francisco Nunes. A expectativa dos presidentes das entidades é que essa audiência ocorra no próximo mês, em agosto.

Conheça as entidades que compõem o Fórum das Entidades das Polícias Civil e Militar:
– Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel);
– Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba (Sindspol);
– Sindicato dos Agentes Operacionais da polícia civil da paraíba (SINDAOPCPB);
– Associação dos Papiloscopistas Policiais Civis da Paraíba (ASPPEPB);
– Associação de Cabos e Soldados da Paraíba (ACSPMBM/PB);
– Clube dos Oficiais da Paraíba;
– Associação dos Técnicos em Perícia e Necrotomistas da Polícia Civil (Atenepol);
– Sindicato dos Peritos Oficiais da Paraíba (Sindperitos);
– Associação dos Servidores da Polícia Científica do Estado da Paraíba (Aspocep);
– Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar do Estado da Paraíba (Assof/PB);
– Associação dos Inativos da Polícia Militar e dos Bombeiros;
– Caixa Beneficente dos Oficiais e Praças da Polícia Militar e Bombeiro Militar;
– Associação dos Subtenentes e Sargentos (ASSPOMPB).

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Ministério Público Eleitoral pede arquivamento de denúncia contra Dr.Augusto Valadares

O Promotor Eleitoral de Sumé, Dr. Bruno Leonardo Lins, representante do Ministério Público…