O advogado-geral da União, André Mendonça, afirmou que o Brasil está há nove meses sem um caso de corrupção no governo, ou seja, desde o início da gestão Jair Bolsonaro.

Em palestra na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Mendonça cobrou do setor privado compromisso com o combate à desvios em contratos públicos.

“Em um país que se propõe a um governo sem corrupção  e nós estamos há nove meses sem um caso de corrupção no governo. A iniciativa privada tem que refletir e fazer autocrítica de como participar de um novo modelo de país, onde o preço pactuado tem que ser o preço cumprido. Não vão se dar modulações em aditivos contratuais, que nos levaram a ter o maior caso de corrupção da história”, disse o ministro.

O AGU apresentou como exemplo o caso do Linhão de Tucuruí, obra de linha de transmissão de energia entre Manaus (AM) e Boa Vista (RR).

“Esbarramos em um pedido de reequilíbrio econômico-financeiro da empresa responsável pela construção.A Aneel definiu tecnicamente qual seria o valor desse reequilíbrio e a empresa mostra uma resistência em aceitar o valor”, disse.

O ministro então teria sugerido que a Advocacia-Geral da União pagasse o valor definido pela Aneel e paralelamente abrir uma câmara de arbitragem para definir se o valor estava adequado. A câmara decidiria se a União pagaria a diferença para a empresa. De acordo com Mendonça, a construtora informou que preferia resolver a questão na Justiça.

Nos primeiros nove meses de governo do presidente Jair Bolsonaro não houve nenhum caso conhecido de corrupção no âmbito federal. Alguns ministros, porém, respondem por suposta participação em esquemas de laranjas do PSL.

 

 

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Secretário de Saúde confirma primeiro caso de coronavírus no Cariri paraibano

A Secretaria de Estado da Saúde, através do secretário Geraldo Medeiros, confirmou na noit…