O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco) deflagrou, nesta terça-feira, uma ação em desdobramentos da 5ª fase da Operação Calvário desencadeada no último dia 9.

Integrantes do Gaeco fizeram buscas no Hospital Metropolitano, em Santa Rita, e Hospital Geral de Mamanguape, no Litoral Norte do Estado. Nessa fase, o diretor a unidade hospitalar, Eduardo Simões Coutinho, já havia sido alvo de mandado de prisão.

O Gaeco também realiza buscas em relação a pessoas ligadas a Grafset e Ivan Burity, que também já havia sido preso. Também está sendo realizada buscas na casa do ex-secretário Executivo do Turismo e na casa da advogada Luciana Ramos Neiva.

Em Mamanguape, eles estiveram na sala do diretor do hospital, que fica no segundo andar do prédio, de onde levaram um malote contendo documentos.

A Operação Calvário visa desarticular uma organização criminosa suspeita de corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recursos em contratos firmados com unidades de saúde e educação da Paraíba. A investigação identificou que a organização criminosa teve acesso a mais de R$ 1,1 bilhão em recursos públicos, para a gestão de unidades de saúde em várias unidades da federação, no período entre julho de 2011 até dezembro de 2018.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Wallber Virgolino promete investimentos focados na assistência básica e saúde preventiva

O candidato do Patriota à Prefeitura de João Pessoa, Wallber Virgolino, cumpriu agenda de …