A vereadora Eliza Virgínia (PP) defendeu que os movimentos esquerdistas incitam ao ódio, ao lamentar fala do colega de parlamento Tibério Limeira (PSB), que taxou o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), de fascista.

“Impressiona-me o nível de ódio que os esquerdistas estão tendo dos cristãos. O modus operandi da esquerda, além de produzir fake news ou meias verdades, é a incitação ao ódio. O que vi na última terça-feira (29), em uma audiência sobre liberdade de cátedra na educação, foi o vereador Tibério Limeira incitar estudantes ao ódio, ao sugerir atear fogo nos fascistas”, repudiou Eliza Virgínia.

A parlamentar se referiu à fala do socialista em que o vereador citou o presidente como uma pessoa preconceituosa, além de defender a importância da análise crítica, diante da sociedade e das conjunturas políticas, em detrimento à doutrinação. O parlamentar ainda comparou as realidades vivenciadas no Chile e Equador, destacando o que pode acontecer no Brasil em função das diretrizes seguidas pelo Governo Federal. “

Quem analisar criticamente vai perceber que estamos num buraco, em que não sabemos onde está a saída. Cabe a nós lutar, desistir não é opção”, afirmou Tibério Limeira, terminando sua participação na audiência pública com um verso da música Pedrada, do cantor Chico César: “…Mas nós temos a pedrada pra jogar. A bola incendiária está no ar. Fogo nos fascistas. Fogo já…”.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Legislativo
Comentários estão fechados.

Veja Também

CCJ aprova PL de Efraim Filho que dispensa licitação para contratação de advogados e contadores

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou proposta que permite a dispen…