Oito vereadores de Santa Rita, dos onze que foram presos em flagrante na madrugada do dia 5 deste mês durante a operação Natal Luz, assinaram protocolo de intenções se comprometendo a não utilizarem mais diárias – para a realização de cursos e eventos de capacitação. Eles foram presos por suspeita de peculato. Somente neste ano, a Câmara Municipal já gastou R$ 577 mil com diárias. No segundo semestre, constam viagens para Maceió, Natal, Gravatá, Foz do Iguaçu e Gramado.

Assinaram o documento: Ivonete Barros; Francisco Queiroga; João Grandão; Galego da Boa Vista; o presidente Anésio Miranda; Sérgio Confecções; Rosa do Vaqueiro e Marcos Farias. O contador da Casa Legislativa, Fábio Cosme, que foi preso, também assinou o documento.

Os vereadores já estão proibidos de receberem novas diárias, por decisão cautelar imposta pela juíza Maria dos Remédios Pordeus. Além disso, estão impedidos de participarem de congressos, cursos e formações durante o processo. As medidas foram aplicadas durante audiência de custódia dos parlamentares, iniciada durante a tarde do dia 6 de novembro e encerrada na madrugada do dia 7, no Fórum da cidade.

O que diz o documento

No documento, eles esclarecem que “a participação em Cursos de Capacitação deverá ser realizada de acordo com a minha conveniência, me valendo, para tanto, de recursos privados”. Não há nenhuma menção à devolução de valores para o erário.

Pontue que Francisco Queiroga, Brunno Filho de Cicinha e Diocélio de Várzea Nova, que também foram presos e tiveram as mesmas medidas impostas, não assinaram o documento.

Confira o documento na íntegra:

 

Fonte: Paraíba Já

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

Felisardo Moura registra candidatura no TSE pelo Democratas para disputar Prefeitura da Prata

O Democratas (DEM) registrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a candidatura do poeta …