Passados 72 anos de sua fundação, o PSB realiza uma Autorreforma comandada pelo presidente Carlos Siqueira. Os cerca de 300 socialistas reunidos na Conferência da Autorreforma, discutiram as propostas para o novo programa do Partido, reunidas no documento Subsídios para Elaboração do Programa Partidário.

Foram cinco eixos temáticos: Reforma Política; Desenvolvimento e Meio Ambiente, Políticas Sociais; Economia: Prosperidade, Igualdade e Sustentabilidade; Socialismo e Democracia. As propostas deste debate serão encaminhadas para discussão em todos os diretórios estaduais, durante o próximo ano, e serão votadas no Congresso Nacional do PSB, que oficializará o novo Programa Partidário, em 2021.

O presidente da Fundação João Mangabeira(FJM), o ex-governador Ricardo Vieira Coutinho, comparou o processo de Autorreforma com a renovação da águia, que aos 35 anos precisa se refazer. Se não trocar todas as penas, as garras e o bico, ela morre. Se ela conseguir trocar tudo isso, num processo extremamente doloroso, ela sobrevive por mais 35 anos. “Nós do PSB não estamos pensando no presente, o presente a gente toca, nós estamos pensando no futuro. O futuro tem que ser socialista, o futuro tem que ser democrático”.

O presidente Carlos Siqueira anunciou medidas práticas que já estão sendo implantadas, como a criação de uma ouvidoria e a nomeação de um ombudsman e um plebiscito digital com todos os filiados do partido para decidir sobre o sistema partidário parlamentarista ou presidencialista.

Siqueira anunciou também que o partido adotou oficialmente o Programa de Gestão Compartilhada, do ex-governador do Amapá, João Capiberibe, que utiliza aplicativos de troca de mensagens para aproximar cidadãos, poder público e empresas envolvidas em obras e serviços realizados com recursos públicos. A Gestão Compartilhada já é realidade no Estado do Amapá e no município de Conde, na Paraíba, onde é regulamentada pela Lei 0989/2018, de iniciativa da  prefeita Márcia Lucena (PSB-PB).

O  projeto de Lei da Gestão Compartilhada foi aprovado no Senado e está em fase final de tramitação na Câmara. Segundo João Capiberibe, a Gestão Compartilhada é um passo adiante à Lei 131/2009, de sua autoria como senador, conhecida como Lei da Transparência, “marca dos governos do PSB, que administram com controle social e respeito ao povo”.

 

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

Efraim Filho reafirma compromisso com o projeto do HU de Cajazeiras “Vamos batalhar até o fim”

O deputado federal Efraim Morais Filho (DEM-PB), líder da bancada paraibana no Congresso, …