Passados 72 anos de sua fundação, o PSB realiza uma Autorreforma comandada pelo presidente Carlos Siqueira. Os cerca de 300 socialistas reunidos na Conferência da Autorreforma, discutiram as propostas para o novo programa do Partido, reunidas no documento Subsídios para Elaboração do Programa Partidário.

Foram cinco eixos temáticos: Reforma Política; Desenvolvimento e Meio Ambiente, Políticas Sociais; Economia: Prosperidade, Igualdade e Sustentabilidade; Socialismo e Democracia. As propostas deste debate serão encaminhadas para discussão em todos os diretórios estaduais, durante o próximo ano, e serão votadas no Congresso Nacional do PSB, que oficializará o novo Programa Partidário, em 2021.

O presidente da Fundação João Mangabeira(FJM), o ex-governador Ricardo Vieira Coutinho, comparou o processo de Autorreforma com a renovação da águia, que aos 35 anos precisa se refazer. Se não trocar todas as penas, as garras e o bico, ela morre. Se ela conseguir trocar tudo isso, num processo extremamente doloroso, ela sobrevive por mais 35 anos. “Nós do PSB não estamos pensando no presente, o presente a gente toca, nós estamos pensando no futuro. O futuro tem que ser socialista, o futuro tem que ser democrático”.

O presidente Carlos Siqueira anunciou medidas práticas que já estão sendo implantadas, como a criação de uma ouvidoria e a nomeação de um ombudsman e um plebiscito digital com todos os filiados do partido para decidir sobre o sistema partidário parlamentarista ou presidencialista.

Siqueira anunciou também que o partido adotou oficialmente o Programa de Gestão Compartilhada, do ex-governador do Amapá, João Capiberibe, que utiliza aplicativos de troca de mensagens para aproximar cidadãos, poder público e empresas envolvidas em obras e serviços realizados com recursos públicos. A Gestão Compartilhada já é realidade no Estado do Amapá e no município de Conde, na Paraíba, onde é regulamentada pela Lei 0989/2018, de iniciativa da  prefeita Márcia Lucena (PSB-PB).

O  projeto de Lei da Gestão Compartilhada foi aprovado no Senado e está em fase final de tramitação na Câmara. Segundo João Capiberibe, a Gestão Compartilhada é um passo adiante à Lei 131/2009, de sua autoria como senador, conhecida como Lei da Transparência, “marca dos governos do PSB, que administram com controle social e respeito ao povo”.

 

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

João Azevêdo afirma que pagamento do 13º salário antecipado vai depender do governo Jair Bolsonaro

O governador da Paraíba, João Azevêdo afirmou que a antecipação do pagamento da primeira p…