A sexta fase da Operação Xeque-Mate foi deflagrada pela Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público e Controladoria-Geral da União (CGU-PB). São cumpridos oito mandados de busca e apreensão para investigar o comércio de mandatos eletivos de quatro vereadores de Cabedelo, na Grande João Pessoa.

Conforme a Polícia Federal, a mercantilização dos mandatos estaria acontecendo com recursos oriundos do superfaturamento do contrato de lixo de Cabedelo. Os quatro vereadores foram afastados dos cargos por determinação judicial.

A operação contou com a participação de vinte policiais federais e quatro auditores da CGU, que cumpriram os mandatos nas residências dos vereadores investigados.

De acordo com a investigação, quatro candidatos do cargo de vereador nas eleições de 2016, em Cabedelo, receberam do então prefeito da cidade, Leto Viana, o valor de R$ 200 mil para compor o grupo de sustentação política no parlamento (legislatura de 2017 a 2020). Conforme o Ministério Público, os vereadores assumiam o compromisso de satisfazer os interesses pessoais de Leto Viana e Roberto Santiago.

Seis envolvidos no esquema foram denunciados pelo Ministério Público nesta sexta fase da Operação Xeque-Mate: Leto Viana, Roberto Santiago, Benone Bernardo da Silva, Jonas Pequeno dos Santos, Janderson Bizerril de Brito e Josimar de Lima Silva.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Judiciário
Comentários estão fechados.

Veja Também

Wallber Virgolino promete armar guarda municipal de João Pessoa “A Guarda Municipal será um braço armado do município”

O delegado Wallber Virgolino (Patriota), candidato à Prefeitura de João Pessoa, prometeu q…