A irmã do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), Viviane Coutinho, pediu exoneração da presidência da Fundação Casa de José Américo – cargo que assumiu em janeiro deste ano.

Ela entregou, nesta quinta-feira (5), a carta de exoneração ao governador João Azevêdo. A saída de Viviane se deu após a saída de João do PSB e o rompimento oficial entre ele e Ricardo.

Ela agradeceu ao governador pelo período em que pode auxiliar o governo, mas afirmou o projeto “perdeu a alma”.

“O projeto que tanto lutei pra construir, com vários outros companheiros e companheiras, perdeu a alma”, afirmou.

Confira na íntegra a carta:

Acertei com alegria o convite de vossa excelência para ocupar a presidência da Fundação Casa de José Américo e contribuir com o meu trabalho zelo e dedicação para o aperfeiçoamento de uma instituição tão relevante para o desenvolvimento cultural da Paraíba. Fiz isso também para oferecer minha contribuição à continuidade de um projeto que o meu esforço e minha militância de décadas ajudei a construir.

E não só por ser irmã de Ricardo Coutinho, cujo exemplo me inspira e me motiva todos os dias mas por que lutar por mudanças numa sociedade tão desigual também parte da minha história de vida.

Com sua eleição para o governo, acreditei que esse projeto teria continuidade. Mas comecei a desconfiar que estava enganada quando muitos companheiros e companheiras que foram importantes e decisivos nessa caminhada começaram a ser abandonados à própria sorte e deixados pelo caminho.

O anúncio de sua saída do PSB, Governador, feito recentemente através de carta consolidou em mim o que era apenas uma suspeita. O senhor abandonou o projeto, porque sem o PSB que o construiu para iniciar sobre a liderança de Ricardo Coutinho, uma era de mudanças na Paraíba, ele perde a razão de ser.

O PSB é um partido para qual confluíram todos os desejos e expectativas de mudança da maioria dos paraibanos de João Pessoa a Cajazeiras.

Sem o PSB o projeto que tanto lutamos para dar continuidade na eleição passada perde a alma porque o projeto são as pessoas que o construíram e deram a ele vida nas ações que pensamos e tiramos do papel.

Por isso perdeu o sentido a minha permanência no atual governo. Em razão disso peço demissão em caráter irrevogável da presidência da Fundação Casa de José Américo. Agradeço ao corpo dirigente da Fundação e ao Conselho deliberativo por esses meses de trabalho compartilhado.

Agradeço a colaboração dos servidores que cotidianamente transformaram o exercício de administrar essa casa no ato prazeroso e cheio de significados e compromissos com o público que nos visitam em busca de conhecimento histórico e cultural e que a razão de nossa existência.

Viviane Vieira Coutinho.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Candidatos a vereador rompem com Micheila Henrique e anunciam apoio a Anna Lorena, em Monteiro

A candidatura à reeleição da prefeita Anna Lorena (PL) não para de receber adesões. Neste …