Não se trata de mera anotação de demandas, a Ouvidoria do PSDB fará uma escuta qualificada, onde o filiado realmente terá resposta para sugestões ou elogios, reclamações ou denúncias, pedidos de informação, mediação e solução de conflitos.

“Temos exemplos de situações que evidenciam a necessidade de um aprimoramento organizacional para facilitar o diálogo com nossas lideranças em todas as regiões do país, além disso, criar um mecanismo que gerencie crises e a resolução de conflitos é de fundamental importância para o fortalecimento de nosso partido. Nosso objetivo é evitar processos muito burocráticos, demandas sem respostas e a falta de transparência nas decisões tomadas pelas diferentes instâncias partidárias”, explica André Morais, que assume o comando da Ouvidoria do PSDB.

O trabalho do novo órgão seguirá um protocolo, mas também levará em consideração as peculiaridades de cada caso. Isso porque, apesar de jovem, o novo ouvidor milita há bastante tempo no PSDB; conhece o partido, suas lideranças e as estruturas estaduais e municipais. “Realizaremos um trabalho personalizado, valorizando a proximidade e total atenção com nossas bases”, completa André.

Boas práticas e projetos partidárias poderão ser compartilhadas com a Ouvidoria para que sejam acompanhadas com atenção necessária e apoiadas de maneira mais efetiva.

Em casos de conflito entre o filiado e seu diretório, por exemplo, a partir do recebimento da demanda, haverá uma análise criteriosa da situação partidária no município ou na região. O ouvidor vai elaborar um relatório que será analisado pelo Diretório Nacional, propondo estratégias de colaboração com as instâncias estaduais e municipais para a solução daquela questão.“O filiado vai participar da construção dessa resolução e sempre terá um retorno sobre a sua demanda”, garante o novo ouvidor.

Engajamento
André explica ainda que o relacionamento também será direto com as lideranças que desenvolvem trabalhos em comunidades, universidades e associações. A ideia, nesses casos, é incentivar e investir em candidaturas que estejam engajadas com as atividades partidárias e com a prestação de serviços à população.

“Nesse sentido, a Ouvidoria também terá o papel de aproximar o partido de suas bases e de identificar candidaturas viáveis para as futuras eleições”, conclui.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Veja o vídeo: Ministério Público Federal deve abrir inquérito contra Prefeitura da Prata

A utilização de equipamentos fornecidos pelo governo federal aos municípios, por meio do P…