O Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou que o Ministério Público da Paraíba, a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União pudessem cumprir mandados de busca e apreensão na Granja Santana, que é a residência oficial do governador da Paraíba, no Palácio da Redenção e no Tribunal de Contas do Estado.

A sétima fase da Operação Calvário, intitulada de Juízo Final, foi deflagrada nesta terça-feira (17). Nela, o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) decretou a prisão do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), da deputada Estela Bezerra (PSB), a prefeita do Conde, Márcia Lucena (PSB), além de ex-auxiliares de gestões socialistas.

As investigações da Operação Calvário apontam que, além da Secretaria de Saúde, houve desvio de recursos públicos na Secretaria de Educação, “em especial por meio de procedimentos de inexibilidade de licitação”.

De acordo com a delação premiada da ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, eram comuns as entregas de caixas de dinheiro decorrente dessa pasta [Educação] na Granja Santana, residência oficial do governador, onde permanecia Ricardo Coutinho à época.

Os desvios da Educação, segundo o Ministério Público, também foram confirmados nas colaborações de Ivan Burity, Leandro Azevedo e Maria Laura.

Segundo Ivan, Ricardo Coutinho lhe convidou para integrar o corpo de secretários estaduais em razão do seu relacionamento com diversos empresários da área de Educação.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Judiciário
Comentários estão fechados.

Veja Também

Wallber Virgolino promete armar guarda municipal de João Pessoa “A Guarda Municipal será um braço armado do município”

O delegado Wallber Virgolino (Patriota), candidato à Prefeitura de João Pessoa, prometeu q…