O Hospital de Emergência e Trauma em João Pessoa passou por uma fiscalização do Ministério Público da Paraíba e Conselho Regional de Medicina (CRM-PB) onde foram constatados superlotação na unidade de saúde, risco de infecção e falta de higiene. Após a inspeção, um relatório do órgão foi enviado ao MPPB e à Secretária de Saúde da Paraíba.

Entre os principais pontos levantados, a superlotação na enfermaria laranja com 48 internos em vez de 20, as macas com 10 cm de distância, em vez dos 80 cm exigidos, entre outros foram discriminados no documento.

O diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto descartou interdição explicando que todo o processo foi encaminhado para os órgãos responsáveis. Ele destacou que a denúncia foi feita e cabe ao Ministério Público Federal, junto com o Ministério Público Estadual, atuar para solucionar o problema.

“Na enfermaria laranja, alguns pacientes internados pela ortopedia estavam sem evolução nem prescrição médica. Verificamos que havia problemas na escala médica, já que alguns profissionais estavam de licença ou férias e não foram escalados outros médicos”, disse João Alberto Pessoa, diretor de fiscalização do CRM-PB.

“Observamos, em algumas situações, infração ao Código de Ética Médica. No entanto, não podemos tomar nenhuma medida mais drástica, já que se trata de um hospital de emergência, referência na capital paraibana. Esperamos que os gestores resolvam esses problemas o mais rápido possível”, completou o diretor do CRM-PB.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Wallber Virgolino promete armar guarda municipal de João Pessoa “A Guarda Municipal será um braço armado do município”

O delegado Wallber Virgolino (Patriota), candidato à Prefeitura de João Pessoa, prometeu q…