As Polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros decretaram “greve branca” imediata na Paraíba, após a categoria não chegar a um acordo com o Governo do Estado sobre o pedido de reajuste nos salários dos servidores da segurança pública. A decisão foi tomada após um protesto que aconteceu na Praça dos Três Poderes, em João Pessoa.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Segurança e da Defesa Social informou que aguarda por um posicionamento oficial para se pronunciar sobre a greve. Conforme o presidente da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel), o delegado Steferson Nogueira, a produção dos agentes de segurança será reduzida, mesmo com todo o efetivando trabalhando. Ainda conforme Sterferson, a Polícia Militar deve atender somente a “casos mais urgentes” e as operações policiais serão suspensas.

A proposta apresentada pelo Governo da Paraíba foi de incorporar 30% na bolsa desempenho em 60 meses, além de 5% de reajuste em outubro para os ativos e na bolsa desempenho. Já a proposta dos policiais e bombeiros era de incorporar 100% na bolsa desempenho em 36 meses e um reajuste de 24% pelos próximos dois anos.

Os participantes da manifestação realizada na tarde desta quarta também aprovaram duas paralisações de advertência, uma de 12h e outra de 24h, que serão realizadas em fevereiro. As datas ainda não foram definidas.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Secretário de Saúde confirma primeiro caso de coronavírus no Cariri paraibano

A Secretaria de Estado da Saúde, através do secretário Geraldo Medeiros, confirmou na noit…