O ex-governador Ricardo Coutinho concedeu entrevista à Rádio Sanhauá nesta sexta-feira (13), e dentre os assuntos comentados, tratou sobre uma possível candidatura à Prefeitura de João Pessoa nas eleições 2020. O socialista sugeriu que a “perseguição e acusações”, nas palavras dele, ao falar sobre a Operação Calvário, também tem intuito eleitoral, a fim de minar uma possível candidatura sua.

Questionado acerca de uma pretensa candidatura ao comando da Capital e a uma possível relação com a operação. “Uma boa parte dessa acusações, sem provas, uma boa parte dessa perseguição, dessa detratação pública, de uma rede de maus caminhos dentro da imprensa”, disse o ex-governador, ao sinalizar positivamente sobre a relação entre os temas.

“Essa questão de ser candidato, sei que uma boa parte vê mal, porque não tem voto ou é medíocre, seja eleitoralmente ou intelectualmente, tem que se valer de alguma coisa, e vai ser valer dos ataques. Tem gente que não tem estatura para conversar com o povo, história não tem, e acha que me via como candidato a prefeito, nunca passou pela minha cabeça ser candidato a prefeito”, disse Ricardo.

Ele ainda deixou um enigma no ar: uma possível candidatura no pleito deste ano. “Hoje estou dizendo que vou ser um sujeito ativo para livrar João Pessoa das mãos de quem só quer fazer negócios com essa prefeitura”, afirmou Ricardo.

Ele ainda fez críticas ao cenário eleitoral para a Capital. O deputado federal Ruy Carneiro e o comunicador Nilvan Ferreira são alguns nomes colocado como pré-candidatos. “Olho esse quadro e começo a ficar desesperado. Essa cidade precisa de um olhar diferenciado, de investimentos. Não pode ficar vivendo só de recursos federais”, avaliou o ex-gestor.

 

 

Da redação com o Paraíba Já

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

Candidatos a vereador rompem com Micheila Henrique e anunciam apoio a Anna Lorena, em Monteiro

A candidatura à reeleição da prefeita Anna Lorena (PL) não para de receber adesões. Neste …