O PSB ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF), com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) em que solicita a liberação imediata do saque das contas do FGTS, dando prioridade a quem recebe até dois salários mínimos e, acima dessa renda, àqueles com idade acima de 60 anos, gestantes e portadores de doenças crônicas, até o limite disposto no art. 4º do Decreto nº 5.113, de 22 de junho de 2004, podendo o valor ser parcelado pelo governo.

O decreto citado no pedido regulamenta o FGTS e define que “o valor do saque será equivalente ao saldo existente na conta vinculada, na data da solicitação, limitado à quantia correspondente a R$ 6.220, por evento caracterizado como desastre natural, desde que o intervalo entre uma movimentação e outra não seja inferior a doze meses”. Dessa forma, a ação também quer ampliar o limite do saque, de R$ 1.045 para R$ 6.220.

O partido critica trechos da Medida Provisória nº 946, publicada nesta madrugada pelo governo federal, que extingue o Fundo PIS-Pasep e transfere o patrimônio dele para o FGTS. A MP ainda autoriza o saque de até R$ 1.045 do FGTS por trabalhador durante a crise do Covid-19.

Para o vice-líder da oposição, o deputado federal Gervásio Maia, o Governo Bolsonaro deu mais um duro golpe no trabalhador brasileiro. “Enquanto todos dormiam, Bolsonaro acabou com o PIS/PASEP. O governo se aproveitou da crise do Covid-19 para atacar, mais uma vez, os trabalhadores regidos pela já flexibilizada CLT. De forma escancarada, esse governo vai abrindo a caixa de pandora do liberalismo brasileiro”, afirmou o parlamentar.

O documento critica ainda a lentidão na tomada de medidas de combate à pandemia do coronavírus. “O Brasil está recebendo os impactos da pandemia do coronavírus sob um governo lento na tomada de medidas necessárias para proteger a saúde da população e para preparar o país para as duríssimas consequências da crise sanitária sobre a economia, o emprego, a renda e o abastecimento. Estamos perdendo um tempo precioso e, por isso, correndo um sério risco”, afirma o partido.

Para o PSB, é preciso que sejam declaradas inconstitucionais as expressões “a partir de 15 de junho de 2020 e até 31 de dezembro de 2020” e “até o limite de R$ 1.045,00 (mil e quarenta e cinco reais) por trabalhador”, ambas do caput do art. 6º, da Medida Provisória nº 946, de 07 de abril de 2020.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Ricardo Coutinho destaca potencial do turismo religioso de João Pessoa e se compromete a construir um grande Espaço Gospel

Além de ter um dos litorais mais bonitos do Brasil, João Pessoa guarda alguns dos mais val…