A Advocacia-Geral da União (AGU) entrou, nesta sexta-feira (10), com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para afastar liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski.

Lewandowski submeteu aos sindicatos as negociações individuais de trabalhadores e empresas para reduzir salário ou suspender contratos durante a pandemia do novo coronavírus.

No entendimento do governo, segundo o jornal Estadão, a decisão do magistrado provoca insegurança jurídica, pode “trazer risco para as relações de emprego” e causar demissões.

O tema será analisado pelo plenário do STF em uma sessão marcada para o dia 16 de abril.

Na ocasião, os ministros vão decidir se mantêm ou não a liminar concedida por Lewandowski, que frustrou as pretensões do governo Jair Bolsonaro ao incluir uma nova etapa burocrática para que os acordos sejam válidos.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Judiciário
Comentários estão fechados.

Veja Também

Justiça eleitoral decide que caso o grupo de Genivaldo Tembório continue descumprindo determinações na Prata, o candidato poderá ter o registro de candidatura cassado

A constante teimosia e desrespeito às leis e determinações da justiça eleitoral da Coligaç…