O Ministério da Economia elevou para R$ 307,9 bilhões a previsão de impacto primário nas contas públicas em 2020, por causa das medidas para conter o novo coronavírus.

O valor leva em conta o resultado primário, que terá rombo de R$ 285,4 bilhões, e a suspensão das dívidas de estados e municípios com a União, custando R$ 22,5 bilhões.

Segundo o Ministério da Economia, as medidas anunciadas pelo governo já somam R$ 1,16 trilhão. O montante, no entanto, não necessariamente causa impacto nas contas públicas, já que há medidas, por exemplo, de impostos adiados em meses, mas que deverão ser pagos em 2020.

O secretário de Fazenda, Waldery Rodrigues, afirmou que o endividamento bruto do país deve subir cerca de dez pontos percentuais neste ano, de 75% do PIB para 85%.

 

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Economia
Comentários estão fechados.

Veja Também

Felisardo Moura registra candidatura no TSE pelo Democratas para disputar Prefeitura da Prata

O Democratas (DEM) registrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a candidatura do poeta …