O ex-deputado Roberto Jefferson ganhou as manchetes de vários veículos de imprensa do Brasil nos últimos dias após denunciar um golpe do Congresso Nacional contra o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Atual presidente nacional do PTB, em live com o jornalista Oswaldo Eustáquio, no último domingo (19), Jefferson afirmou que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, são os cabeças da articulação para derrubar Bolsonaro.

Maia e Alcolumbre estariam em conluio com lideranças do DEM e do PSDB, inclusive o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, para aproveitar a crise gerada pelo coronavírus com o objetivo de usurpar os poderes do presidente eleito com 57 milhões de votos.

Bolsonaro transmitiu a live com a denúncia de Jefferson em tempo real para os seus milhões de seguidores na rede social Facebook.

No dia seguinte, segunda-feira (20), desta vez em conversa com os jornalistas do programa “Pingo nos Is”, da rádio Jovem Pan, o ex-deputado explicou em mais detalhes o suposto golpe em andamento contra Bolsonaro.

Jefferson disse que “há um projeto em curso para tentar impedir o presidente Bolsonaro”, mas que o “povo na rua” vem controlando o ímpeto dos supostos golpistas:

“O povo na rua é o esteio do Bolsonaro. Não pediram ainda o impeachment do presidente Bolsonaro porque temem, sujam na roupa, borram nas calças estes homens que estão tramando o impeachment do presidente.”

Jefferson disse que Maia já encomendou um pedido de impeachment ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, contra o presidente Bolsonaro:

“O que Rodrigo Maia leva em troca? A esquerda, que pediu a ele a cabeça do Bolsonaro, dará a aprovação desta proposta de emenda constitucional permitindo reeleição dentro da mesma legislatura à Presidência da Câmara dos Deputados e à Presidência do Senado da República.”

Durante a entrevista à Jovem Pan, o ex-deputado afirmou que a justificativa do pedido de impeachment seria baseado na “ingovernabilidade” do presidente e, por este motivo, Maia está colocando as próprias pautas à frente das pautas do governo na Câmara:

“O Rodrigo Maia e o Alcolumbre roubaram a agenda legislativa do presidente da República. Eles não fazem agenda do governo. Ao contrário, eles fazem andar a agenda deles. A agenda do grupo que se uniu para fazer o Parlamentarismo Branco.”

Jefferson ainda citou o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, como integrante da suposta trama para derrubar Bolsonaro.

Confira no vídeo:

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

VEJA A NOTA: Sócio do Política Parahyba rebate matéria do Portal Cariri Paraibano

Sócio do Portal Política Parahyba, Gabriel Moura, foi citado em uma matéria do Portal Cari…