O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, criticou a forma como o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, deixou o cargo. A declaração foi feita na live promovida pela Ark Advice, empresa especialista em análise política.

“Toda vez que o governo se instala e compõe ministros, a gente fica com expectativa que aquele grupo será resiliente. Mas a gente sabe que isso não é simples. O ex-ministro Sergio Moro teve papel importantíssimo na história nacional, julgando todas aquelas pessoas daqueles casos de corrupção que ficou conhecido como Petrolão”, afirmou Mourão.

“Por conta da sua notoriedade, entrou para a mitologia nacional. Aceitou o convite do Jair Bolsonaro e na minha avaliação, fez um ótimo trabalho. Entre o chefe e o subordinado ocorreram algumas rusgas, e como consequência, o ministro solicitou a sua demissão. A forma como ministro Moro saiu não era a mais apropriada. Ele poderia ter solicitado a demissão e só isso já seria um problema por ele ser Sergio Moro.
Vida que segue agora, presidente está buscando nome para substituto e esperamos que país volte ao normal”, concluiu.

Aproximação com Centrão

Mourão também comentou sobre as reuniões de Jair Bolsonaro com parlamentadores do Centrão. “Eu vejo que no começo, o presidente e todos nós tínhamos a visão que com base no pragmatismo das ideias do nosso governo de que esses assuntos (reformas) seriam os que fariam uma convergência de ideias pra trazer os parlamentares para aprovar aquilo que o governo julga necessário (…) num primeiro momento julgo que essa concertação até funcionou, mas avalio que do fim do ano passado e até no início desse ano, por causa dessa situação, levou o presidente a ter que buscar uma aproximação com esses partidos que dê uma base de sustentação para enfrentar esse momento”, analisou.

Plano Pró-Brasil

O vice-presidente também comentou sobre a divulgação do Plano Pró-Brasil, em que Braga Netto foi protagonista, quando todos esperavam por uma participação de Paulo Guedes. “Acho que houve interpretação errônea por parte da imprensa que julgaram que Braga Netto estava atropelando o ministro da Economia e tomando a frente de um plano que visa recuperação (…) se criou essa visão de que havia um descarte das ideias do ministro Paulo Guedes, quando isso não é verdade”, declarou. “O que vejo é que Braga Netto buscou naquela tarefa da Casa Civil de modo a agrupar os diferentes ministérios no sentido de retomar nossa capacidade operacional.”

 

 

Fonte: CNN Brasil

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Gabriel Moura
Carregar mais por Política
Comentários estão fechados.

Veja Também

Prefeita de Ouro Velho parte na frente e autoriza Transição

A Prefeita de Ouro Velho, Natalia de Dr. Junior, autorizou por meio de Decreto Municipal s…