O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo Pires de Sá (PV), confirmou, que as medidas de isolamento social serão prorrogadas por mais 15 dias a partir do próximo domingo (17). O último decreto tem vencimento na próxima segunda-feira (18). Além disso, a prefeitura da capital, ao lado de prefeitos da Região Metropolitana e do governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania) discutem propostas mais restritivas que unifiquem a prevenção ao coronavírus entre as cidades próximas.

João Pessoa ainda é a cidade com o maior número de casos confirmados para Covid-19 até esta quinta-feira (14), data do último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), com 1.451 casos. “Estamos renovando nosso decreto sem impedimento de avançar com novas medidas”, declarou o prefeito.

Conforme Luciano Cartaxo, todas as medidas estabelecidas em decretos até agora farão parte do prazo de prorrogação. Entre as principais medidas de isolamento social que continuam a valer na Paraíba, estão:

Os estabelecimentos bancários e casas lotéricas deverão estabelecer a distância de 1,5m entre cada pessoa, tanto na área externa como também dentro dos estabelecimentos, com filas demarcadas nos pisos. O controle desta medida deve ser feita por pelo menos um funcionário designado para exercer tal atribuição. Também deverão ser disponibilizados álcool gel a 70% aos consumidores, inclusive para aqueles que aguardam em filas externas.

Os estabelecimentos comerciais autorizados a funcionar também deverão estabelecer a distância de 1,5m entre cada pessoa, inclusive funcionários e colaboradores, além de não permitir a aglomeração de pessoas.

Os estabelecimentos ficam obrigados a fornecer máscaras para todos os seus empregados e prestadores de serviço. O decreto estabelece também a recomendação de que estes estabelecimentos não permitam o acesso ao interior de suas dependências de pessoas que não estejam usando máscaras.

A fiscalização destes locais será realizada pelo Procon Municipal, Vigilância Sanitária e Guarda Municipal e o descumprimento sujeitará o estabelecimento à aplicação de multa. Em caso de reincidência, poderá também implicar no fechamento. Os recursos oriundos das multas aplicadas serão destinados às medidas de combate ao novo coronavírus.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Presidente do TSE alerta sobre cuidados sanitários na campanha e pede debate sem ódio e sem mentiras

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, alertou …