A vereadora Eliza Virgínia criticou o decreto do Governador da Paraíba, João Azevêdo Lins Filho (Cidadania) que, em um de seus trechos, proíbe a realização de cultos e missas em todo o território estadual durante a pandemia. Eliza considera que a medida deve ser retirada do decreto para que as lives das celebrações religiosas não sejam barradas pelas autoridades policiais.

Ela declarou que o texto é comunista. “Esse texto é comunista, anticristão. É um texto que fere a nossa Constituição no artigo 5º”, e citou o que diz esse artigo sobre a liberdade de cultos religiosos.

Eliza Virgínia pediu ao governador a retirada do artigo. “Senhor governador, por favor, retire esse artigo 2º do Decreto nº 40.242. Não importa despercebido nos outros decretos, mas a gente sabe que muitas pessoas estão ligando para a Prefeitura de João Pessoa, para a Semam, dizendo que ali está tendo culto, aglomeração, mandando a polícia ir lá fechar, simplesmente porque eles estão gravando uma live, com pouquíssimas pessoas.”

“A gente vai entrar na Justiça para retirar esse artigo desse decreto porque é totalmente inconstitucional. Fere a liberdade de culto. A gente não pode perder esse direito. Não estamos num país comunista”, argumentou a vereadora.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Ruy Carneiro defende retomada do Projeto Verão Total em João Pessoa

Dinamizar o turismo através da conexão com o calendário de atividades culturais, estimular…