O presidente do Conselho Regional de Medicina na Paraíba (CRM-PB), o médico Roberto Magliano, afirmou que o CRM recebeu denúncias de que haveria registro de maus tratos contra pacientes, falta de médicos e de medicamentos no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires e no Hospital Solidário, em Santa Rita.

Ele citou que equipes de médicos fiscais estiveram presentes nas duas unidades por mais de uma vez para verificar o funcionamento e foi observado que não existia falta de médicos, mas sim de medicamentos específicos que auxiliam no processo de entubação do paciente com Covid-19.

“Nossos médicos fiscais que lá estiveram perceberam que o hospital vem funcionando relativamente bem e encontramos dois médicos para cada dez leito”, disse.

Segundo Roberto, foi constatada a falta de relaxante muscular e do medicamento sedativo Midazolam no momento da fiscalização. Ele explicou que o hospital está utilizando um protocolo alternativo com outros medicamentos que também agem no auxílio da entubação do paciente.

Roberto frisou que questionou os médicos fiscais se a utilização de medicamentos alternativos são prejudiciais para os pacientes e a resposta foi negativa. Ele ainda citou que a diretoria do hospital destacou que tentou comprar o medicamento Midazolam, mas está em falta no mercado e também em outras unidades hospitalares.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Jair Bolsonaro destina crédito suplementar de R$ 15 milhões para obra de adequação da BR-230 na Paraíba

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por meio do Ministério da Infraestrutura, desti…