O advogado Carlos Monteiro (Rede), candidato à Prefeitura de João Pessoa, prometeu renunciar o salário de prefeito e também o de vice-prefeito como uma das medidas, caso seja eleito prefeito da capital. De acordo com ele, não faria sentido, enquanto servidor público, receber um salário que ele já recebe. “Queremos romper o ciclo vicioso e oligárquico. Estamos dispostos a fazer um governo com transparência e zelo público”, declarou durante entrevista à rádio CBN Paraíba, nesta terça-feira (20).

No primeiro bloco, o candidato disse que quer ser prefeito de João Pessoa porque tem vocação, junto com seu vice, de servir ao público. Ele pretende “combater a impessoalidade, a imoralidade e o desperdício. Entrar na prefeitura é fazer com que o município seja democrático, de direito e proteja o pessoense”, declarou.

O candidato explica que o plano de governo está baseado em três fundamentos. O primeiro é observar os objetivos de desenvolvimento sustentável, levando para a prática. Outra questão que se coloca é o cumprimento da LDO. “A LDO aprovada pela Câmara Municipal deste ano são 120 páginas de vários programas inacabados sendo repetidos por vários anos”, disse.

Sobre educação, a proposta de Carlos Monteiro é escolher o secretário de educação por meio de processo seletivo. “Além disso, todas as escolas públicas serão recuperadas e valorizadas, vamos acabar com essa ideia de centro de excelência. Estamos com a proposta de todas as escolas ter uma segunda língua. Daqui a dez anos vamos ter nossas crianças envolvidas fluentemente em uma segunda língua”, enfatizou.

Ainda na área de educação, para recuperar o déficit de educação sofrido no ano de 2020, o candidato quer estabelecer um segundo turno nas escolas, horas extras, requalificação, o reforço dos conteúdos e cumprir com o novo Fundeb.

Na área administrativa, o candidato lembrou que a cidade tem 24 secretarias, mas que pretende reduzir para dez. “Uma secretaria está custando quase R$ 400 mil. A economia seria de R$ 300 a R$ 400 mil por mês”, relata Carlos Monteiro.

No segundo bloco, ele falou o que pretende fazer na área da saúde. Carlos Monteiro também quer escolher o secretário de saúde por meio de processo seletivo. Ele levou em consideração que o Complexo Hospitalar de Mangabeira, o Trauminha, está servindo a vários municípios na Região Metropolitana de João Pessoa. “Vamos buscar esses prefeitos para fazer um consórcio de saúde da Região Metropolitana e vamos fazer uma clínica de saúde mental”, destacou.

Nos bairros, Carlos Monteiro prometeu criar 80 cooperativas familiares. Além disso, quer levar os serviços públicos essenciais para todas as regiões, de modo a diminuir a circulação de pessoas na cidade em busca de serviços básicos, melhorando também a mobilidade urbana.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Hagnon Halberto Carvalho da Silva
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Jair Bolsonaro destina crédito suplementar de R$ 15 milhões para obra de adequação da BR-230 na Paraíba

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por meio do Ministério da Infraestrutura, desti…